quarta-feira, 1 de março de 2017

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

FUGA

Fuga (Fabio Terra)
 
 
Mesmo que a estrada me leve,
Para caminhos desconhecidos
O meu coração continua parado
Nessa estação.
 
Gritando e precisando do seu sorriso,
Do seu abraço e da sua paixão.

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

O GATILHO E O CÃO


O Gatilho e o  Cão (Fabio Terra)

E a cada hora que passa
O tambor parece mais excitado
 esperando o  dedo
Para que tristeza puxe o  gatilho
E o  cão faça o resto

terça-feira, 9 de julho de 2013

CARTA PARA JULIETA

Carta Para Julieta  (Fabio Terra)

Tira-me qualquer coisa,
Menos o direito de te amar
Que é como se me tiraste o ar

Tira-me do  sério
Toda vez que olhos para seus olhos
De súbito brota a alegria.

Sua alegria agora um pouco  cansada
Assim como  os meus olhos
Assim como  a minha saudade


Queria que a Terra parasse
Para que em apenas um beijo me redimisse
Das outrora atitudes deste grosseiro que te ama

 
Seu  sorriso e seus olhos
Serão minha espada.
Para enfrentar a minha ignóbil e patética mediocridade

Eis que o  meu jeito involuído
Será extirpado de minha carne
E minha nau agressiva será coberta de amor

Tira-me qualquer coisa,
Menos o direito de te amar
Que é como se me tiraste o ar

Acredite cegamente,
Que o  homem rude também pode mudar
E por você, minha flor, pra que o grosseiro possa mudar
Basta o verdadeiro amor , e isso sobra-me.

 
Ah! Minha doce flor, não  tire de mim
Teu  sorriso e nem teu  abraço
Mesmo  que esse inverno seja mais frio

Tira-me qualquer coisa,
Menos o direito de te amar
Que é como se me tiraste o ar
E quem se ele eu  de súbito morreria

 

terça-feira, 25 de junho de 2013

segunda-feira, 17 de junho de 2013

QUERO


Quero (Fabio Terra)

 
Quero , qualquer tipo de arma
Quero vontade de entrar em qualquer luta
Quero a coragem e uma voz forte pra gritar bem alto
Filho da puta

 
Quero , dessa noite o escracho
De você um forte abraço
E do seu coração, eu quero um pedaço

 
Quero, a raiva dos imperfeitos
Cinqüenta centavos e a vergonha de ser brasileiro
Quero, poder andar me sentindo gente
E alguma bomba que me traga  paz!

 
Quero , dessa noite o escracho
De você um forte abraço
E do seu coração, eu quero um pedaço

 
Quero , poder cortar os meus pulsos
Quero  mostrar meu  sangue vermelho  vivo, pra quem é careta.
Quero, poder voltar a ser criança
Onde  a violência era apenas um brinquedo.

 
Quero , dessa noite o escracho
De você um forte abraço
E do seu coração, eu quero um pedaço
 

 

quarta-feira, 12 de junho de 2013

SALIVA NO CHICOTE

Saliva no  Chicote  (Fabio Terra)

Que gosto  tem o  couro
se não  o de pele curtida
Conjurei a imagem distorcida
para morder na minha agonia.
E esquecer  as pragas,
para me afogar em tesão enquanto lambia