quinta-feira, 6 de novembro de 2008

A AVE E A BELA.

A Ave e a Bela ( Fabio Terra)

O teu sorriso, o teu carinho deixaram,
A ave tão calma,
Como se ela quisera lhe beijar e te abraçar com as asas.

Teus olhos,
Longe do momento, junto ao coração,
Um grão de paixão
Me prendo ao tombadilho.

Só quem tem alma chora, até alma com asas
Que alma não tem defeitos?
Alma amarrada, despedaçada. amada

Por toda minha vida quis ser avaro como o mar,
Espero Deus com gula, então,
Seja feliz, embriague-se de luxúria, amalvadeça-se de paixão,

Nunca poderá mesmo jogar o amor pela janela.
Eu nunca joguei, guardo ele até hoje,
Desde o dia em que realmente te vi.

2 comentários:

compulsão diária disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
compulsão diária disse...

O mar é avaro?