sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

PEQUENA AMIGA.

Pequena Amiga (Fabio Terra)

Estranha amiga que captura meu jeito esquisito de falar
Com ela sempre posso inteligentemente conversar, raro hoje em dia
Trocar palavras, falar porcaria, beber malte inglês com cola americana.

Difícil de explicar doce dança que seu sorriso espalha no ar
Eu gosto do sorriso dela, interessante, pois é?
Protonotária de argumentos irônicos
Onde ironia e sarcasmo se misturam,
Tal pequena amiga consegue separar

No seu sangue corre paixão, desde sempre
Seu coração é paixão, sempre.
Repousa a agitação de quem quer o mundo entender

Faz falta não é? Não sei o quanto faz juro eu, imagino apenas
Mas seu sorriso é paixão, ela sabe, assim como eu e poucos
Com você sempre posso inteligentemente conversar, raro hoje em dia
Trocar palavras, falar sentimentalidades, beber malte inglês com cola americana.

E aqui tal pequena amiga, sempre tens onde encostar
Onde a ironia e sarcasmo se misturam,
Um ombro para rir e se quiseres também, chorar.

4 comentários:

Alessandra Chaia disse...

Reconheço? ;)
Percepção é algo complicado... E eu aqui achando que enganava bem!
Obrigada Grande Amigo... De coração.

Pedro Garcia Tatim Neto disse...

Gostei dos versos, li de verdade obcecado até o fim, me manteve nas linhas. Valeu, voltarei mais.

http://palavraderedator.blogspot.com/

Compulsão Diária disse...

Muito bom ler esse elogio. E, como minha dose diária de malte inglês é sempre com água de côco e muito gelo (tá na horinha dela) : salut!

Hemisfério Desocupado disse...

As palavras bonitas são o melhor jeito para engrandecer os sentimentos. :D