terça-feira, 8 de maio de 2007

NUM BELO DIA, ME PUS A ESCREVER.

Num Belo Dia, Me Pus A Escrever (Fábio Terra)


Num belo dia
Me pus a escrever,
Detesto ler
Mas sei o quão é importante e insuportante
Tal ingênuo
Passatempo.

Num belo dia
Me pus a escrever,
Entediado com o dia, sem meio sem fim,
Importante meio
Que liga o fim ao começo
Do verso

Num belo dia
Me pus a escrever,
Tentando claustrofobicamente
Moldar, encaixar, construir a palavra em verso
Inebrio e concreto
Um tédio.


Num belo dia
Me pus a escrever,
Certo que o torto é certo
Tão torto que se faz meu verso
Preso dentro de mim, escorrendo por meus dedos
Mas, meu verso.

2 comentários:

Danielly Azevedo disse...

Corvoo, que texto hein!
Cada um mais lindo q o outro! =D
Parabéns!
Espero poder ve-lo no fds! \o/
Bjos

djbtrmy disse...

Escrever metricamente
aqui e ali, estica, mexe,arruma,não é a total poesia, não é ela como vem a mente, é ela limada, consertada.